quinta-feira, abril 23, 2015

Backstreet Boys: Show Em' What You're Made Of


No último domingo, dia 19 de abril, anti-véspera de feriado no Brasil, algumas garotas e garotos também, na faixa etária dos 25 anos para cima saíram de suas casas para ir ao cinema, e assistir o filme mais aguardado neste ano para a música pop. O documentário, "Backstreet Boys: Show Em' What You're Made Of".

Tudo estava perfeitamente incrível, o céu azul e sol raiando, mas querendo se esconder, clima típico do outono, mas estava remetendo para um domingo incrível. O dia foi para rever os amigos que não se via a anos e conhecer outros que possuem o mesmo amor e dedicação pelo mesmo ídolo.

Às 18 horas em ponto - como sempre, os Backstreet Boys nunca se atrasam, até mesmo no cinema - as luzes se apagaram e a sala inteira gritou euforicamente. O público foi ao delírio, e a emoção transpirou pelos olhos, em forma de lágrimas.

Um longa-metragem que conta a história, as lutas e conquistas de uma banda que desde sua formação foi julgada e colocada a prova, quem eram e o que queriam de verdade. Além de mostrar batalhas pessoais de cada integrante, mas sempre transparecendo a música como primeiro plano, todavia os problemas estavam lá, como de qualquer outro individuo. Porém, eles tinham a música como referência principal de suas vidas, junto com suas famílias e o amor que os fãs os dão para perseverarem e persistirem nesta jornada árdua e densa, em que um dia te colocam no trono e no outro, ninguém mais lembra quem você é.

A fama, sucesso mundial, dinheiro, fãs... Tantos percalços e proveitos acontecendo ao mesmo tempo, e eles apenas sendo garotos se transformando em homens, amadurecendo sob os holofotes, e em tal caso sendo eles mesmos desde o inicio. 

Humildes, atenciosos, prestativos e trabalhadores, um grupo de garotos que virou uma das maiores bandas da música pop dos últimos 20 anos, referenciando diversos artistas que vieram sucessivamente. Um grupo vocal onde a música é o ápice do show, e a arte de interpretar e poetizar as letras e melodias fazem parte da rotina.


Tanto que, ao término no documentário os fãs presentes no cinema foram agraciados com uma performance exclusiva e acústica, onde os presentes cantaram, aplaudiram e se deleitaram com êxitos musicais dos Backstreet Boys, como "As Long as You Love", "I Want it That Way", "Shape of My Heart", entre outras, em que os admiradores dos rapazes se apaixonaram ainda mais por eles e pelo seu trabalho, cantando verso a verso com direito a coreografia, direto de suas poltronas, que estava quase virando uma arena de apresentações.


Por: Patrícia Visconti
ou melhor Nicka Carter!

Nenhum comentário:

Se não sabe, joga ai embaixo;