quarta-feira, agosto 28, 2013

CONHEÇA OS MITOS E VERDADES SOBRE PARAR DE FUMAR


O tabagismo é um problema que atinge milhares de brasileiros: cerca de 200 mil pessoas morrem anualmente por problemas decorrentes do consumo de cigarros. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de cinco milhões de pessoas morrem por ano em decorrência de doenças ligadas ao tabagismo. Se o consumo de produtos como cigarros, charutos e cachimbos não diminuir, esse número aumentará para 10 milhões de mortes anuais até o ano de 2030. 

Hoje dia 28/08 será lembrando o Dia Mundial de Combate ao Fumo, e o pneumologista Dr. Roberto Rodrigues Júnior, do Lavoisier Medicina Diagnóstica, lembra os 10 mitos e verdades sobre parar de fumar. 

Leia com atenção, reflita e tome uma atitude no momento que ainda dá tempo para isto: 

1 – Se você já está doente, tirar o prazer de fumar não vai te fazer bem.
Mito. “Parar de fumar sempre faz bem”, diz o Dr. Roberto. Ele explica que quando a pessoa larga o vício, recupera alguns anos perdidos e ganha muito em qualidade de vida. Quando a pessoa já está doente, parar de fumar auxilia na recuperação. 

2 – Só não para de fumar quem não quer.
Mito. “Algumas pessoas acreditam que só fuma quem não tenta parar, mas não é verdade”. O tabagismo é considerado uma doença e causa uma dependência séria pelo uso da nicotina, que é uma droga altamente viciante. 

3 – O pulmão volta ao normal quando o vício acaba.
Mito. “O pulmão não se regenera”, explica o pneumologista. Porém, as defesas do órgão não ficam mais inibidas e começam a agir no organismo. Segundo Dr. Roberto, “quem para de fumar tem mais tosse do que os que ainda fumam” porque o corpo quer limpar a “sujeira”. 

4 – Parar de fumar deixa a pessoa mais nervosa.
Verdade. Dr. Roberto conta que a nicotina aumenta o poder de concentração e, ao ser tragada, faz com o cérebro libere serotonina. É isso que dá a sensação de prazer aos fumantes, porém ela é momentânea. O médico aconselha a quem deseja parar de fumar que o paciente busque outras formas de liberar a substância, como a prática de esportes, por exemplo. 

5 – Parar de fumar é um caminho a ser percorrido sozinho.
Em termos. A decisão de parar de fumar deve ser tomada pelo tabagista, porém é muito mais difícil parar sozinho. Para o pneumologista, “é preciso acompanhamento médico”. Com ajuda profissional e técnicas já testadas, é mais fácil acabar com o vício. 

6 – Cigarro é mais viciante que maconha.
Verdade. Não existem comprovações, ambas são drogas que reagem diferentemente no organismo. No entanto, a venda do cigarro de tabaco é legalizada, portanto a droga é mais acessível. 

7 – Os cigarros com filtro light, de sabor e de cravo são menos prejudiciais.
Mito. “Todas as diferentes linhas de cigarro são prejudiciais”, diz o médico. Alguns cigarros têm menor concentração de nicotina e as pessoas acabam fumando em maior quantidade para suprir o vício. 

8 – Só se para de fumar quando o vício é substituído por outro.
Mito. Segundo o pneumologista, a substituição é apenas uma das técnicas para parar de fumar. “Os tabagistas podem trocar um vício ruim por um que faz bem como, por exemplo, a prática de exercícios”, conclui. 

9 – As pessoas engordam quando param de fumar.
Em termos. Nem todas as pessoas engordam quando param de fumar. O que acontece é que, ao acabar com o vício do tabagismo, os cinco sentidos ficam mais aguçados e os ex-fumantes sentem mais cheiros e sabores, deixando-os com desejo de comer mais. 

10 – Parar de fumar tem que ser de uma vez só.
Em termos. É possível parar gradativamente. “Existem táticas e planos para alcançar o objetivo envolvendo o uso de outras drogas que funcionam aos poucos”, sugere Roberto. Adesivos, gomas de mascar e alguns princípios ativos agem como a nicotina e podem retirar a fissura por cigarro aos poucos.

Nenhum comentário:

Se não sabe, joga ai embaixo;