quinta-feira, maio 17, 2012

Reprovação está em alta nos últimos anos


O Brasil teve a taxa de maior reprovação do Ensino Médio nos últimos 12 anos, isso não acontecia desde 1999, em que havia um grande número de reprovação.

A indícios de que é por causa de que os estudantes estão abandonado os estudos, para começar a trabalhar, mas também pode ser por 'vagabundagem', pois há estudantes que começam a trabalhar aos 16/17 anos, que não estão nem ai para o estudo e só querem ficar na rua vadiando e escutando funk, e não pensa no futuro.

Isso não é só falta de incetivo do governo, isso também gera a falta de responsabilidade e incentivo da própria pessoa, que ao invés de pensar em aprender coisas novas e uteis para ela mesma, prefere ficar vagando na rua, sem prospecção alguma.

Como o entrevistado no Jornal do SBT noite, que na verdade está mais para SBT madrugada, mas isso não vem ao caso. O Jameson, do Rio de Janeiro, que ele disse na entrevista de que ele não compreendia matérias enjoadas como português, matemática..., desde quando há matérias enjoadas, tem sempre alguma área que você adapta.  (clique aqui e assista a reportagem do Jornal do SBT de 16/Maio)

Você pode não gostar de matemática, mas isso não impede ninguém de parar a escola e depois falar que parou porque teve que começar a trabalhar, para ajudar na escola, sabendo que mesmo que os jovens que trabalha, os próprios 'patrões' não impedem da pessoa sair mais cedo para estudar, pelo contrário, tem alguns que ainda incetiva a não parar com a escola.
Afinal estamos em 2012, a era da tecnologia e informação rápida e a maioria dos empresários, olham para os jovens como futuro investimentos, por mais que há alguns que não pensam assim, mas para outros a importância é ver seus jovens funcionários bem estruturado e não uns lerdos que embala na onda de qualquer pessoa.

Bom pelo menos é o que acho sobre isso, que parar de estudar para trabalhar não é desculpa e sim falta de vergonha na cara.. 

Muaaah muah e até a próxima

Nenhum comentário:

Se não sabe, joga ai embaixo;